Adoçante: você usa para emagrecer? Pare agora e leia isto!

Tempo de leitura: 3 minutos

Adoçante sintético, que tipo e benefício ele poderia fazer para sua saúde?

Adoçante realmente emagrece?

O excesso de adoçante poderia provocar algum mal para sua saúde?

 

Se você usa adoçante para emagrecer, pare e leia isto agora!

Muitas são as perguntas a respeito do produto que pode substituir o açúcar.

E muitas também são as respostas, porém quase sempre controversas.

Mas uma pesquisa que acaba de ser divulgada mostra um dado surpreendente sobre emagrecimento.

Se você está entre os que acreditam que o edulcorante (açúcar artificial) pode te ajudar a emagrecer, leia este post até o final.

Um estudo que acaba de ser publicado pelo Canadian Medical Association Journal afirma:

Não há evidências de que o açúcar artificial pode ajudar a emagrecer.

Ao mesmo tempo há indícios de que o excesso de uso pode prejudicar a saúde.

Os especialistas analisaram os resultados de mais de 11 mil pesquisas sobre edulcorantes, incluindo os artificiais, como aspartame e sucralose.

Em parte dos estudos, descobriu-se que as pessoas que consumiam adoçantes de baixa caloria eram mais propensos à obesidade.

 

Uso de adoçante está associado a doenças

Problemas como diabetes, hipertensão e acidente vascular cerebral, também foram associados ao uso do adoçante.

Já os médicos ligados à Universidade de Manitoba, também no Canadá, foram mais além.

Para eles, que lideraram os estudos, não há provas que o adoçante faça bem.

Por outro lado, há evidências de um impacto negativo, principalmente quando se analisa os dados fornecidos pelo grupo de obesos.

 

Foto: Manual do Diabetes

Adoçante artificial ainda precisa de mais estudos

Especialistas avaliaram os resultados alertam para a necessidade de mais estudos.

Principalmente porque além dos que estão acima do peso, este tipo de edulcorante artificial é oferecido a outros grupos.

Entre eles, bebês, crianças, adultos e pessoas idosas.

Em São Paulo deputado quer proibir aspartame

Em São Paulo, encontra-se em tramitação desde 2013, um projeto de lei que proíbe a comercialização do aspartame. 

O Projeto de autoria do deputado Chico Sardelli se baseou em um estudo da Fundação Ramazzini, em Bolonha, na Itália.

Os resultados apontavam, a partir do teste em cobaias, o risco de câncer.

Alerta já havia sido feito sobre refrigerantes diets

Não é a primeira vez que  açúcar artificial é apontado como vilão para quem faz dietas

O blog Como Não Engordo já havia feito o alerta sobre o risco de consumo de refrigerantes nesta modalidade.

Pesquisa recente mostrou que o alto consumo pode causar demência e AVC.

Veja e identifique 5 tipos de adoçantes encontrados no mercado

Sucralose

 

Feita da cana, é 600 vezes mais doce que o açúcar. É segura, mas há indícios de que não se deve submetê-la a altas temperaturas.

Acessulfame-K

 

Esse adoçante sintético é 200 vezes mais doce que o açúcar. Não é indicado para quem tem problemas renais.

Ciclamato de sódio

 

Trinta vezes mais doce que o açúcar, não deve ser usado por hipertensos. Está proibido nos Estados Unidos.

Aspartame

 

É o único calórico da lista. Tem poder de adoçar 200 vezes maior que o açúcar e deve ser evitado por pessoas com fenilcetonúria.

Estévia

 

Extraída de uma planta, é 300 vezes mais doce que o açúcar, embora tenha um gostinho puxado para o amargo.

Este post foi útil pra você? compartilhe com os amigos!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *